Fernando Esquio


A um frade dizem escaralhado,
e faz pecado quem lho vai dizer,
 ca, pois el sabe arreitar de foder,
cuid'eu que gaj'é de piss'arreitado;
5e pois emprenha estas com que jaz
e faze filhos e filhas assaz,
ante lhe dig'eu bem encaralhado.
  
Escaralhado nunca eu diria,
 mais que traje ante caralho arreite,
10ao que tantas molheres de leite
tem, ca lhe parirom três em um dia,
e outras muitas prenhadas que tem;
e atal frade cuid'eu que mui bem
encaralhado per esto seria.
  
15Escaralhado nom pode seer
o que tantas filhas fez em Marinha
e que tem ora outra pastorinha
prenhe, que ora quer encaecer,
e outras muitas molheres que fode;
20e atal frade bem cuid'eu que pode
encaralhado per esto seer.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

Sátira, em termos bastante crus, a um frade que se fazia passar por impotente, mas que ia engravidando todas as mulheres que lhe passavam por perto - três delas tendo mesmo dado à luz no mesmo dia, garante o trovador.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Escárnio e maldizer
Mestria
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1604, V 1136
(C 1604)

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1604

Cancioneiro da Vaticana - V 1136


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

A un frade dizen escarallado      versão audio disponível

Versão de Xurxo Romaní, Koichi Tanehashi