Bernal de Bonaval

Rubrica:

(Só em B): Em esta folha adeante se començam as cantigas d'amor. Primeiro trobador: Bernal de Bonavalle.


Ai Deus! e quem mi tolherá
gram coita do meu coraçom
no mundo, pois mia senhor nom
quer que eu perça coita já?
5E direi-vos como nom quer:
leixa-me, sem seu bem, viver
coitad'; e se mi nom valer
ela, que mi pode valer,
  
no mund'outra cousa nom há
10que me coita nulha sazom
tolha, se Deus ou morte nom,
ou mia senhor, que nom querrá
tolher-ma. E pois eu hoer
por mia senhor mort'a prender,
15Deus, meu Senhor, se lhi prouguer,
mi a leix'ant'ũa vez veer.
  
E se mi Deus quiser fazer
este bem, que m'é mui mester,
de a veer, pois eu poder
20veer o seu bom parecer,
 por en gram bem mi per fará
– se m'El mostrar ũa razom,
de quantas end'eu cuid'acá
a dizer, que lhi diga entom.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

O trovador não pode viver sem o favor da sua senhora, e, se ela não lhe quer valer, nada poderá pôr fim ao seu sofrimento senão a morte. Pede então a Deus que lhe dê a possibilidade de a ver ainda uma vez, e também que, nessa ocasião, o inspire para dizer as palavras certas que até agora não conseguiu encontrar.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Mestria
Cobras doblas (III: rimas d, c, a, b)
(Saber mais)


Fontes manuscritas

B 1062, V 653
(C 1062)

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 1062

Cancioneiro da Vaticana - V 653


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Ai Deus e quen mi tolherá      versão audio disponível

Versão de Carlos Villanueva, In Itinere: Grupo Universitário de Câmara de Compostela

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas