Vasco Rodrigues de Calvelo


Por vos veer vim eu, senhor
e lume destes olhos meus;
e valha-me contra vós Deus,
 ca o fiz com coita d'amor!
5       Ca, senhor, nom hei eu poder
       de viver mais sem vos veer.
  
Aventurei-m'e vim aqui
por vos veer e vos falar;
e mia senhor, se vos pesar,
10fazed'o que quiserdes i;
       ca, senhor, nom hei eu poder
       de viver mais sem vos veer.
  
Como vós quiserdes será,
de me fazerdes mal e bem;
15e pois é tod'em vosso sem,
fazed'o que quiserdes já,
       ca, senhor, nom hei eu poder
       de viver mais sem vos veer.



 ----- Aumentar letra ----- Diminuir letra

Nota geral:

O trovador diz à sua senhora que se aventurou a vir vê-la porque não consegue mais viver sem a ver. E ela faça, pois, como melhor entender, já que tudo ele aceita.



Nota geral


Descrição

Cantiga de Amor
Refrão
Cobras singulares
(Saber mais)


Fontes manuscritas

A 295, B 995, V 584

Cancioneiro da Ajuda - A 295

Cancioneiro da Biblioteca Nacional - B 995

Cancioneiro da Vaticana - V 584


Versões musicais

Originais

Desconhecidas

Contrafactum

Desconhecidas

Composição/Recriação moderna

Desconhecidas