Martim de Ginzo
Jogral medieval


Nacionalidade: Galega?

Notas biográficas:

Jogral, possivelmente galego, talvez oriundo da localidade de Ginzo, próximo de Ponteareas, no sul da Galiza1 (onde está igualmente atestado o topónimo Soveral, nome da ermida que canta numa cantiga). O topónimo Ginzo existe, no entanto, também em Portugal (numa localidade do concelho de Barcelos). Nada sabemos da sua biografia, embora as referências à partida do amigo para o fossado, feitas pela voz feminina numa sua cantiga de amigo, possam indicar que teria participado na chamada Reconquista. Nesse sentido é possível, como sugere Ramón Lourenzo2, que tenha vivido nos reinados de Fernando III ou Afonso X.


Referências

1 Oliveira, António Resende de (2001), O trovador galego-português e o seu mundo, Lisboa, Editorial Notícias, p. 197.

2 Lorenzo, Ramón (1993), "Martin de Ginzo", in Dicionário da Literatura Medieval Galega e Portuguesa, Lanciani, Giulia e Tavani, Giuseppe (org.) , Lisboa, Editorial Caminho.

Ler todas as cantigas (por ordem dos cancioneiros)


Cantigas (por ordem alfabética):


A do mui bom parecer
Cantiga de Amigo

Ai vertudes de Santa Cecília
Cantiga de Amigo

Como vivo coitada, madre, por meu amigo
Cantiga de Amigo

Nom mi digades, madre, mal e irei
Cantiga de Amigo

Nom poss'eu, madre, ir a Santa Cecília
Cantiga de Amigo

Nunca eu vi melhor ermida nem mais santa
Cantiga de Amigo

Se vos prouguer, madr', hoj'este dia
Cantiga de Amigo

Treides, ai mia madr', em romaria
Cantiga de Amigo