Martim Codax
Jogral medieval


Nacionalidade: Galega

Notas biográficas:

Trata-se provavelmente de um jogral galego, ativo em meados ou no terceiro quartel do século XIII. Embora seja um dos dois únicos autores presentes nos cancioneiros medievais cujas composições se conservaram igualmente num manuscrito individual, o designado Pergaminho Vindel, onde vêm acompanhadas da respetiva notação musical (o outro dos autores sendo D. Dinis), nada se sabe de concreto sobre a sua biografia. O seu apelido parece excluir a hipótese de um estatuto social elevado. Seria pois um jogral ou segrel, muito possivelmente ligado a Vigo, localidade repetidamente cantada nas suas composições.
Acrescente-se que a autoria da sétima cantiga atribuída a Martim Codax (Ai ondas que eu vim veer) é incerta, tendo sido acrescentada no Pergaminho Vindel pelo primeiro copista musical. E acrescente-se ainda que o seu nome (na forma Martim Codaz) aparece igualmente numa nota, ainda não completamente elucidada, que o Cancioneiro da Vaticana (e apenas este manuscrito) transcreve a seguir a uma das cantigas de Martim de Guinzo (vd., na edição dessa cantiga, a nota L, v. 6).

Como referido no texto relativo aos critérios seguidos nesta Base de Dados, a enorme quantidade de gravações musicais existentes das cantigas de Martim Codax levou a equipa a limitar os ficheiros áudio a exemplos escolhidos. O usuário interessado em outras versões poderá consultar a respetiva discografia em linha, no endereço abaixo indicado.


:
Martín Códax: Cantigas de Amigo - A discography

Ler todas as cantigas (por ordem dos cancioneiros)


Cantigas (por ordem alfabética):


Ai Deus, se sab'ora meu amigo
Cantiga de Amigo

Ai ondas que eu vim veer
Cantiga de Amigo

Eno sagrado em Vigo
Cantiga de Amigo

Mandad'hei comigo
Cantiga de Amigo

Mia irmana fremosa, treides comigo
Cantiga de Amigo

Ondas do mar de Vigo
Cantiga de Amigo

Quantas sabedes amar amigo
Cantiga de Amigo