Gomes Garcia
Trovador medieval


Nacionalidade: Castelhana

Notas biográficas:

A rubrica atributiva que acompanha as suas duas cantigas informa-nos que foi abade de Valladolide, desfazendo qualquer dúvida quanto à sua identidade. Na verdade, D. Gomes Garcia foi uma figura importante dos finais do reinado de Afonso X e, sobretudo, no reinado do seu herdeiro, Sancho IV. Da linhagem dos Sotomayor, era natural de Toledo. A sua carreira política desenvolveu-se desde muito cedo na corte castelhana, especialmente junto do infante Sancho de Castela, estando atestado como seu privado em 1283, ou seja, numa época de conflito aberto entre o infante e seu pai, Afonso X. Após a morte deste último, em 1284, aparece-nos como abade de Valladolide (cargo importante na época, várias vezes desempenhado por infantes reais) e notário do reino de Leão, chefiando, no ano seguinte, uma embaixada a França. Proposto para o bispado de Mondoñedo em 1286, parece ter tido, por essa época, alguns problemas com o rei1. Morreu, de qualquer forma, nesse mesmo ano, a 29 de Julho, em Toledo.


Referências

1 Beltran, Vicenç (1993), "Gomez Garcia, abade de Valadolide", in Dicionário da Literatura Medieval Galega e Portuguesa, Lanciani, Giulia e Tavani, Giuseppe (org.), Lisboa, Editorial Caminho.

Ler todas as cantigas (por ordem dos cancioneiros)


Cantigas (por ordem alfabética):


A vossa mesura, senhor
Cantiga de Amor

Diz meu amigo que me serve bem
Cantiga de Amigo