Garcia Peres
Trovador medieval


Nacionalidade: Castelhana?

Notas biográficas:

Dado os cancioneiros não nos terem transmitido o seu apelido, não é fácil identificar este trovador, que certamente frequentou a corte de Afonso X, com quem mantém uma tenção. D. Carolina Michaëlis tinha sugerido que se poderia tratar de Garcia Peres, que foi meirinho da Galiza, e era cunhado do trovador Paio Gomes Charinho (casado com uma sua irmã)1. Resende de Oliveira2, no entanto, atendendo à existência de muitos homónimos na época e ainda à referência a um Gonçalo Martins na mesma tenção, vira-se antes para o Repartimento de Sevilha, onde aparecem vários indivíduos com estes nomes. Assim, e dada a proximidade ao monarca que parece depreender-se da referida tenção, crê este investigador que se poderá tratar ou do Garcia Peres clérigo do rei e cónego de Sevilha, ou do Garcia Peres escrivão régio, ambos referidos nesse documento e ambos castelhanos.


Referências

1 Vasconcelos, Carolina Michaëlis de (2004), "Pena veira", in Glosas Marginais ao Cancioneiro Medieval Português (trad. do texto de 1905) , Coimbra, Acta Universitatis Conimbrigensis, p. 163.

2 Oliveira, António Resende de (1994), Depois do espectáculo trovadoresco. A estrutura dos cancioneiros peninsulares e as recolhas dos séculos XIII e XIV, Lisboa, Edições Colibri.

Ler todas as cantigas (por ordem dos cancioneiros)


Cantigas (por ordem alfabética):


- Ũa pregunta quer'a el-rei fazer
Tenção