Nuno Rodrigues de Candarei
Trovador medieval


Nacionalidade: Incerta

Notas biográficas:

Trovador talvez galego, cuja biografia é ainda algo obscura. Poderá ser o filho do galego Rodrigo Pais de Candrei, documentado, entre 1214 e 1230, como vassalo do magnate D. Rodrigo Gomes de Trastâmara, e que sabemos tê-lo acompanhado no serviço a D. Fernando III (os documentos indicam que o fez com um seu filho1). Se esse filho for Nuno Rodrigues (hipótese que o patronímico do seu nome torna plausível), o trovador terá, pois, frequentado a corte castelhana. Nesta hipótese, poderá ainda ser familiar do D. Mendo de Candarei a quem Afonso X dirige duas cantigas satíricas (e que será talvez o trovador Mem Pais, como sugerimos na respetiva nota biográfica).
Acrescente-se, no entanto, que o apelido de família, na forma Gondarei, está igualmente presente em Portugal. Como nos informa Resende de Oliveira2 (seguindo a pista de D. Carolina Michaëlis, que parece inclinada a atribuir nacionalidade portuguesa a Nuno Rodrigues3), em 1258, um Mem Rodrigues de Gondarei (eventualmente irmão de Nuno Rodrigues) possuía bens próximo de Penafiel. Na verdade, os frequentes casamentos de membros da família galega com linhagens portuguesas não afastam a hipótese de alguns deles se terem fixado em Portugal. Foi o caso de Mor Rodrigues de Candarei, também possivelmente irmã do trovador, casada com Gomes Viegas de Basto.
Apesar de todas as incertezas quanto à sua naturalidade, os dados aduzidos apontam, pois, para que o período de atividade de Nuno Rodrigues tenha decorrido em meados do século XIII.


Referências

1 Ron Fernández, Xavier (2005), “Carolina Michaelis e os trobadores representados no Cancioneiro da Ajuda”, in Carolina Michaelis e o Cancioneira da Ajuda hoxe, Santiago de Compostela, Xunta de Galicia, p. 146.
      Aceder à página Web


2 Oliveira, António Resende de (1994), Depois do espectáculo trovadoresco. A estrutura dos cancioneiros peninsulares e as recolhas dos séculos XIII e XIV, Lisboa, Edições Colibri.

3 Vasconcelos, Carolina Michaëlis de (1990), Cancioneiro da Ajuda, vol. II, Lisboa, Imprensa nacional - Casa da Moeda (reimpressão da edição de Halle, 1904), p. 343.

Ler todas as cantigas (por ordem dos cancioneiros)


Cantigas (por ordem alfabética):


Bem devíades, mia senhor
Cantiga de Amor

Em gram coita vivo, senhor
Cantiga de Amor

Em que grave dia, senhor, que me vos Deus fez[o] veer!
Cantiga de Amor


Autoria duvidosa:


Em gram coita vivo, senhor
Cantiga de Amor

Nostro Senhor, em que vos mereci
Cantiga de Amor