Mem Vasques de Folhente
Trovador medieval


Nacionalidade: Portuguesa

Notas biográficas:

Trovador provavelmente português, talvez originário de uma linhagem da pequena nobreza sediada em Ardegão, no concelho de Ponte de Lima (no lugar de Folhente). A linhagem não é desconhecida dos Nobiliários, onde surge um Rui Peres de Folhente, cujo pai, segundo o Livro do Deão, se chamaria Pero Vasques Pinguelo. Resende de Oliveira1 sugere, pois, que, tendo em conta o patronímico, Mem Vasques poderia eventualmente ser irmão deste Pero Vasques (usando já o nome de família Folhentes, como acontece na geração seguinte).
Seja como for, nada sabemos do percurso do trovador, cuja atividade, tendo em conta a colocação, nos apógrafos italianos, da sua única cantiga conservada, se deverá ter processado na segunda metade do século XIII.
Acrescente-se que, nos manuscritos, o apelido do trovador surge sempre na forma Folhete. Atendendo, no entanto, à origem da linhagem, o mais certo é tratar-se apenas da omissão do sinal de nasalidade.


Referências

1 Oliveira, António Resende de (1994), Depois do espectáculo trovadoresco. A estrutura dos cancioneiros peninsulares e as recolhas dos séculos XIII e XIV, Lisboa, Edições Colibri.

Ler todas as cantigas (por ordem dos cancioneiros)


Cantigas (por ordem alfabética):


Ai amiga, per bõa fé
Cantiga de Amigo